E-mail: atendimento@aep.net.br
WhatsApp: +55 11 94277-9889

Aprenda como recuperar posições que você perdeu no Google e como nunca mais perdê-las!

Marketing de Conteúdo – Perdeu posições no Google? Nesse guia você aprenderá como diagnosticar os seus problemas e recuperar suas posições!
Confira também no blog da A&P Publicidade: Comércio eletrônico espera faturar R$ 2,87 bilhões na Black Friday, prevê ABComm

Mais difícil do que alcançar o topo do Google, é se manter lá! Muitos acreditam que alcançar a primeira posição nas páginas do buscador é cumprir o seu grande objetivo. Ledo engano.

O impacto que um bom posicionamento nas SERPs traz para o seu site/blog está diretamente relacionado ao tempo que ele permanece lá. Uma certeza que você pode ter é que todo mundo que está abaixo de você, está doido pra assumir o seu lugar.

Além disso, as páginas de resultados estão em constante mudança e as posições se alternam bastante.

Portanto, ter uma estratégia de recuperação de posições é fundamental para você ter sucesso na sua estratégia de SEO.

No conteúdo de hoje eu vou explicar como eu faço aqui na Rock para garantir que as nossas eventuais quedas sejam sempre momentâneas. Confira!

Qual o tamanho do seu problema

Esse conteúdo poderia ser facilmente dividido em dois. Mas não sou o tipo de pessoa que gosta de tirar uma dúvida e te deixar com outra.

Por isso neste post eu vou destacar as duas situações comuns em que você precisará recuperar posições no Google.

  1. Você perde posição para uma ou mais palavras-chave fundamentais para você;
  2. Sua página sumiu do Google. Não está aparecendo nem na terceira página (também aplicável a uma ou mais páginas).

A primeira situação é um pouco mais simples de ser resolvida.

A segunda já exige um diagnóstico mais completo para identificar a raiz do problema. A página pode ter sumido por diversos motivos.

Vou ensinar primeiro como agir na situação 1. E depois vou explicar como lidar com a situação 2.

Isso, porque, após diagnosticado o problema na 2, o plano da 1 servirá tranquilamente para você aplicar e recuperar as posições que você perdeu.

Perdi posições! E agora?

Como eu falei, a guerra é constante e as variações são absolutamente normais.

Já aconteceu muitas vezes com a gente aqui na Rock. Já perdemos posições e tivemos que recuperar, assim como já roubamos posições de muita gente também.

Atualmente estamos com um saldo bem positivo. Inclusive já perdemos posição para a nossa principal palavra-chave: “Marketing Digital”.

Uma dessas vezes foi na época do nosso clássico case “Obrigado Neil Patel”, em que ele roubou nossa posição e nós rankeamos em primeiro para o nome dele.

O GIF abaixo representa como foi o período em que o Patel e outros concorrentes que chegaram ao topo para essa palavra-chave:

Portanto essa variação é normal. Não foi a primeira vez que perdemos e nem será a última.

E para ser sincero, eu acho bom quando acontece.

É sério!

Perder posições nos tira do lugar-comum, faz a gente perceber que o que nos levou para o topo, não é suficiente para manter lá.

Gera aprendizado e crescimento. E com certeza, perder posições me tornou um profissional muito melhor.

A além do mais, ganhar de ninguém não tem graça nenhuma!

É incrível olhar para a SERP e ver que estamos na frente de concorrentes (de palavra-chave) de peso como a Resultados Digitais ou Neil Patel.

Por isso, o risco de ter que recuperar posições no Google constantemente é grande!

O mais importante é saber exatamente como reagir quando essas situações acontecerem. Então vamos ao passo a passo de como você deve agir quando você perde sua amada posição.

1. Entender “o que ele tem que eu não tenho”?

A primeira coisa que eu faço quando eu perco uma posição é entender o porquê.

O que o meu concorrente tem que eu não tenho? O que o Google viu nele? Por que ele é mais digno de conquistar essa posição de honra do que eu?

Alguns dos motivos que podem ter influenciado diretamente:

  • CTR?
  • Teste do Google?
  • Time on page?
  • Conteúdo melhor?
  • Página mais interativa?
  • Usabilidade?
  • DA/PA (Domain e Page Authority)?
  • Número de links?

É importante que você faça uma comparação bem crítica para identificar os principais pontos de melhoria.

Se você conseguir identificar algum ponto principal, corra para melhorá-lo. O importante aqui é entender que no primeiro momento, antes de aplicar as práticas a seguir, você deve fazer um diagnóstico do seu problema.

Inclusive, esse diagnóstico será fundamental para você determinar quais práticas você deve priorizar.

Dito isso, a partir de agora, elas não estão em uma sequência obrigatória de execução.

2. Atualizar o conteúdo

Se você perdeu posições, é possível que essa perda aconteceu porque o seu concorrente responde melhor a busca do usuário do que o seu conteúdo.

Portanto a atualização se faz necessária.

Nesse ponto cabe um novo diagnóstico que não deve ser limitado apenas aos concorrentes que estão à sua frente.

O ideal é que você analise todos os conteúdos que estão na primeira página. Observe:

  • Títulos dos concorrentes;
  • Meta Description;
  • Tópicos abordados dentro do conteúdo;
  • Tamanho do Conteúdo;
  • Uso de mídias (vídeos, imagens, infográficos);
  • Informações que podem estar desatualizadas no seu conteúdo;
  • Estrutura do post.

Outra dica é usar a busca avançada do Google para conferir os conteúdos que rankeiam para essa busca em outros idiomas, criando mais ideias de como otimizar o seu conteúdo:

Basta acessar as configurações e selecionar um idioma e até um país para fazer um benchmark.

Intenção do usuário

Escrevi um conteúdo com o Guia com (quase) tudo que eu faço quando quero rankear em primeiro para uma palavra head tail.

Responder a intenção do usuário é provavelmente o principal fator dentro de um conteúdo.

Para identificar a intenção por trás de uma busca você precisa observar a página de resultados, afinal, se os conteúdos estão na primeira página o Google considera que eles respondem a busca feita.

Dois exemplos que gosto muito:

Repare a página de resultados para a busca “Inbound Marketing”

Todos os conteúdos que rankeiam nas 5 primeiras posições são focados em explicar o que é o Inbound e como aplicar a estratégia.

Ou seja, se uma pessoa quiser rankear para Inbound Marketing, o conteúdo precisa responder essas questões para o leitor.

Agora vamos ao outro exemplo, o que você acha que uma pessoa que busca por “cachorros fofos” quer encontrar no Google?

Imagens!

Perceba que o Google já responde a busca com imagens. Ou seja, seria praticamente impossível você rankear para essa busca com um conteúdo que não possua vídeos ou imagens de cachorrinhos fofos.

Esse pode ser o problema que causou sua perda de posições. Portanto identifique se você responde à intenção do leitor.

Técnicas de escrita:

Outros fatores importantes para você atualizar no seu conteúdo são algumas técnicas de escrita, que ajudam a otimizar e manter o leitor mais tempo dentro do seu post.

Esse é um dos principais sinais da qualidade do seu conteúdo para o Google.

Entre as boas práticas de escrita para melhorar a avaliação dos seus posts estão:

  • Escaneabilidade;
  • Frases de Conexão (Bucket Brigade): são frases que estimulam os leitores a permanecerem engajados no conteúdo como: “e não é só isso”, “vamos à melhor parte” etc;
  • Intertítulos que apresentam benefícios claros para o leitor;
  • Fórmula APP: fazer uma introdução completa que convença o usuário a ler todo o conteúdo. Você concorda com dor dele (Agree), promete os benefícios de ler o conteúdo (Promise) e dá uma prévia de como ele conquistará isso (Preview).

Se você quiser aplicar essas técnicas, confira esse meu outro post completo onde ensino e mostro cada uma delas aplicada para você fazer um excelente conteúdo para blog!

3. Melhore os seus títulos

Há quanto tempo você não revisa os títulos dos seus conteúdos?

Você tem testado mudanças e comparado a taxa de cliques (CTR) entre eles?

Pois bem, fica aqui um conselho necessário para a recuperação de posições: otimizar o seu SEO Title!

Muitas vezes criamos os nossos conteúdos, escolhemos um título e deixamos ele eternamente do mesmo jeito.

O que é um erro grave.

Primeiro porque o CTR é um importante fator de rankeamento, afinal, se as pessoas não clicam no seu título, passam a mensagem que ele não responde à intenção da busca deles.

Se o seu conteúdo não possui uma boa taxa de cliques para a posição que ele está, a tendência é que ele perca posições.

Em segundo lugar, o SEO Title é a primeira impressão que uma pessoa terá ao encontrar o seu conteúdo.

Definitivamente, você quer que esse primeiro encontro desperte o interesse do leitor conhecer melhor o seu conteúdo e ler o que você tem a dizer.

Enfim, queria mostrar inicialmente a importância do CTR, agora vou mostrar como eu faço otimizar ele:

Melhorando o CTR com o Google Search Console

Essa é uma das minhas funções preferidas do GSC. A ferramenta permita que você identifique exatamente as pesquisas feitas quando as pessoas clicaram no seu conteúdo.

Para isso você precisa acessar o Search Console e selecionar a parte Desempenho:

Você terá as seguintes opções para fazer uma análise dentro do seu site/blog:

Em um primeiro momento, vamos selecionar a aba “Páginas” para escolher uma página específica que você queira otimizar o CTR.

No caso, o conteúdo que você precisa recuperar posições.

Dessa vez vou usar o post “Marketing Digital” como exemplo.

O meu case preferido com esse Hack é o do “4 Ps do Marketing” que você conferir no meu conteúdo com Hacks avançados de Conteúdo!

Como eu já usei ele de exemplo, optei por outro conteúdo agora.

Após selecionar a página escolhida, volte para a aba consultas:

As consultas mostram a intenção de busca dos usuários, e você pode usar elementos no seu título para estimular os cliques e ampliar o seu CTR.

Além disso, usar esses termos pode melhorar o seu rankeamento para aquela consulta específica.

Eu usei os elementos “tudo sobre” e “marketing online” no meu título para estimular mais cliques e rankear para essas consultas específicas.

Agora veja a SERP para a busca “Marketing Digital”:

Observe quantos desses conteúdos também usa “Marketing online” no seu título.

Pois é! Nenhum.

Mas vamos a melhor parte.

Vamos agora observar a página de resultados para a busca “Marketing Online”

Perceba que o único resultado igual é o primeiro! No caso, o nosso.

Apesar do Neil Patel ainda ser o segundo, ele está rankeando com um post diferente. Eu sinceramente não vejo necessidade dois conteúdos quando eu posso rankear com 1 para as duas SERPs.

É claro que não foi o único fator para rankearmos em primeiro para as duas buscas. Porém, como fica nítido nesse exemplo, o título teve grande influência.

Viu só a importância que os títulos têm para o rankeamento de um post?

Agora, quando perder posições, pode ter certeza que esse é um dos principais fatores para você recuperá-las.

4. Revise a sua linkagem interna

Um bom trabalho de linkagem interna é fundamental para mostrar para o Google a relevância do seu conteúdo.

Busque pela palavra-chave internamente no seu blog e encontre conteúdos em que você deixou a oportunidade passar.

Na linkagem interna é fundamental você pensar também nos próximos passos que o seu leitor vai dar. Então faça links estratégicos.

Outro fator interessante é lembrar que o texto âncora não é tão relevante quando se trata de link interno. Então você pode usar a criatividade e fazer links chamativos e que atraiam cliques.

Por exemplo: conheça as melhores práticas de rankeamento no Google

Esse link vai para a nossa página SEO. Se fosse externo, preferiria que o âncora fosse direto. Mas, como é interno, eu prefiro convencer o leitor a clicar, fortalecendo o conteúdo de destino.

Uma outra dica inicial é fazer um link direto da “Home” para as suas páginas mais importantes.

A “Home” é a página mais importante do seu site e quanto mais curto for o caminho para a pessoa alcançar as suas páginas mais relevantes, o Google entenderá como páginas de maior valor.

Resultados Digitais faz isso muito bem na sua Home:

5. Posts Satélites

Diretamente ligada à prática anterior de linkagem interna, está a produção de novos posts satélites.

Os posts satélites são conteúdos relacionados a um tema principal, geralmente focados em uma palavra-chave long tail e que fortalece uma palavra head tail.

Por exemplo: Marketing Digital.

Essa é uma KW com um altíssimo volume de busca e com uma competitividade enorme na página.

Além de criar um conteúdo completíssimo é fundamental que você crie conteúdos sobre temas diretamente relacionados para fortalecer o post principal, por exemplo:

  • Cursos de Marketing Digital;
  • Plano de Marketing Digital;
  • Livros de Marketing Digital.

Encontrar essas long tails que você ainda não tenha explorado, pode ser um ótimo caminho para recuperar posições no Google que você perdeu. Uma vez que esses posts satélites, devidamente linkados, fortalecem o seu conteúdo pilar.

Para identificar essas oportunidades você pode conferir as consultas naquela página específica pelo Google Search Console (mesmo processo que fizemos para melhorar o CTR) ou usar uma ferramenta de palavras-chave.

Por exemplo, usando o KW Magic Tool do SEMrush eu encontrei as seguintes oportunidades de conteúdo:

Você pode usar uma ferramenta gratuita como o Ubersuggest. Ao encontrar essas oportunidades que você ainda não explorou, crie conteúdos e faça o link diretamente (de preferência o primeiro link do post) para a post pilar.

6. Priorize backlinks para essa página específica

Se você já toca uma estratégia de conteúdo há tempo suficiente para se preocupar com perda de posições, muito provavelmente já tem uma estratégia de backlinks.

Se ainda não tem, você precisa começar uma.

Quando você perde uma posição, especialmente de palavras chaves para o seu negócio (adjetivo, não escrevi sem hífen não hehe), você precisa priorizar esse termo nas suas campanhas de link building.

Por exemplo, você vai trocar 5 guest-posts naquele mês, certifique-se que a palavra que você precisa recuperar receberá um link em cada um desses conteúdos.

E o mais importante, priorize para que ele seja o primeiro link a aparecer naquele guest. Lembre-se que os links possuem hierarquia dentro das páginas, sendo o primeiro o que recebe maior autoridade e assim sucessivamente.

Faça um alerta para essa palavra-chave específica

Uma importante forma de conquistar backlinks é a partir de menções não linkadas às suas palavra-chave.

Acesse o Google Alerts, e crie um alerta para a palavra específica que você precisa recuperar.

Você pode configurar o alerta de acordo com as suas preferências.

Sempre que algum site citar essa KW, você receberá um email avisando:

Caso seja pertinente, você pode abordar o dono da menção dizendo que possui um conteúdo completo sobre o tema e que pode ser um complemento interessante para o leitor dele.

Troque links

“Não é bom que o homem esteja só” e você, com certeza, tem bons parceiros e até clientes que podem ajudar você nesse tipo de situação.

Se você tem um conteúdo de qualidade e o seu parceiro também, essa troca de links se faz de forma natural.

Tenha uma abordagem sincera, dizendo que você precisa de links para esse post específico abrindo portas para um favor em retorno.

Uma dica, nunca simplesmente peça um link: “preciso de um link para: X”.

Mas encontre um conteúdo no site/blog do seu parceiro que faça sentido (e que seja possível inserir um link) e mostre que você já encontrou uma boa oportunidade para ele fazer.

Dessa forma você facilita o trabalho da pessoa, não criando a necessidade dela procurar no próprio blog oportunidades para fazer um link para o tema específico que você precisa.

Identifique links que os seus concorrentes têm e você não

Uma das melhores formas de recuperar posições no Google é conquistando exatamente aquilo que pode ter tirado você do topo.

Se o seu conteúdo já é melhor que o do seu concorrente, você precisa de autoridade e links para confirmar isso.

E nada melhor que “roubar” aquilo que ele tem e você não tem.

Vou ensinar como faço o processo usando o SEMrush (você pode procurar outras opções pagas e gratuitas também, como o Linkminer):

Para exemplo prático, vou usar as URLs dos principais concorrentes da SERP de “Digital Marketing” nos Estados Unidos.

A Hubspot está em primeiro lugar seguido da Marketo. Ambas as empresas são gigantes.

Será o que perfil de backlinks está influenciando diretamente as posições? Vamos fazer uma análise:

Primeiro vamos acessar a opção “Lacuna nos Backlinks” na barra de ferramentas do SEMrush.

Você terá a opção de colocar até 4 concorrentes de uma vez para comparar o perfil dos seus backlinks.

Basta você colocar as duas URLs que quer comparar.

Repare os detalhes que destaquei ali. A opção padrão é “Domínio raíz”, o que faria uma comparação de todos os backlinks do domínio.

Isso também é uma ótima estratégia, mas como nosso foco é recuperar uma página específica, vamos selecionar a opção URL e colocar a URL da página e não do domínio.

O resultado obtido foi esse:

Eu não sei quanto a você, mas na minha humilde opinião os 40.000 Backlinks a mais que a Hubspot recebe devem estar influenciando diretamente na sua primeira posição no Google.

Mas a melhor parte está um pouco mais abaixo:

O SEMrush apresenta quais são os domínios específicos que estão linkando para o seu site e para o site do seu concorrente.

A coluna azul mostra a Autoridade dos Domínios. Veja só quantos domínios com autoridade acima de 80 (que é excelente) que fazem links para a Hubspot e não fazem para a Marketo.

Vamos observar o domínio Kinja, que envia 31 links para a Hubspot e nenhum para a Marketo:

A melhor parte é que eu posso ver exatamente como esse backlink foi feito. Basta clicar no número 31 e eu verei outra página, mostrando exatamente de onde vem o link:

Texto âncora, dados e principalmente a URL exata de onde vem o link.

Todos os dados que eu preciso. Daí basta acessar a página que faz o backlink para entendermos melhor a oportunidade.

O link não poderia ser melhor. E não vem de um guest post, mas é um backlink natural (pelo menos aparentemente, não sabemos os bastidores, né!?).

Isso mostra como o site prospectado possui uma grande disposição a fazer backlinks para bons conteúdos. O que abre uma série de possibilidades para a Marketo também receber links do domínio.

Essa prática é uma das melhores oportunidades para tornar o seu perfil de backlinks melhor que o do seu concorrente. Você conquista novos domínios e evita que ele receba links que você não tem.

Só a título de curiosidade, já que o perfil da Hubspot foi covardia com esse número absurdo de links, observe a comparação da Marketo (2º) e do Neil Patel (4º):

Novamente vemos como o perfil de backlinks influencia diretamente no rankeamento.

Essa é sem dúvidas uma das práticas mais importantes na recuperação de posições.

7. Otimize sua Meta description

Mais negligenciado que o SEO Title é a meta description.

Tudo bem, eu sei que você faz uma meta descrição, mas você já fez testes com ela? Quantas vezes ela foi modificada desde a postagem do seu conteúdo?

A ideia aqui é seguir o mesmo padrão que fizemos com o SEO Title. Comparar com todos os concorrentes, identificar a intenção do usuário e destacar o principal benefício da leitura do seu artigo.

Lembre-se, a meta description é focada em cliques! O objetivo dela é convencer o leitor a clicar e ler o seu conteúdo. Você não tem que explicar conceitos e nem tirar dúvidas com ela.

Mas fazer uma promessa que será cumprida internamente.

E lembre-se, a palavra-chave buscada pelo leitor fica em negrito na meta descrição, chamando mais atenção. Não deixe de usá-la.

8. Compartilhamento em massa nas Redes Sociais

Redes Sociais influenciam no rankeamento de um post?

Não, mas sim.

Se você perguntar pro Google ele vai falar que não. Mas por experiência própria, e de muitos outros SEOs,  a resposta é sim.

A verdade é que sempre que você tem conteúdos mencionados e compartilhados em redes sociais, o seu conteúdo recebe o que nós chamamos de “Sinais Sociais”.

Mas como isso influencia no rankeamento?

Bom, é uma ótima forma do Google (pessoas e outros buscadores) saber que o seu conteúdo está atualizado e é de qualidade.

Lembrando que o Google indexa as páginas de redes sociais e, mesmo que as menções sejam nofollow, ou seja, não passam autoridade de link, o buscador identifica as citações como bons sinais.

Uma das vezes que perdemos a nossa principal posição, eu não só pedi compartilhamento massivo de todo nosso time como fixei o post com principal no Facebook.

O que trouxe um bom resultado para um conteúdo explicativo e evergreen que já divulgamos algumas vezes:

Backlinks sociais

Muita gente esquece de observar isso, mas um conteúdo que tem uma ampla divulgação nas redes sociais possui uma enorme chance de receber backlinks.

Afinal, o seu conteúdo estará impactará muitas pessoas e aumenta a chance delas mencionarem o seu artigo em seus sites e blogs.

A ferramenta Buzzsumo, por exemplo, identifica conteúdos esses conteúdos que foram compartilhados em redes sociais fazendo menções ao seu artigo:

Clicando na opção “view backlinks” você conseguirá ver exatamente o post do artigo que faz menção ao seu nas redes sociais:

Aí você identificará essas páginas:

Isso mostra como buscadores conseguem identificar os links nas redes sociais.

E o melhor, você encontra pessoas que admiram o seu conteúdo e podem ser bons parceiros para divulgar e enviar mais links para o seu domínio.

Esse Snippet aumentou o nosso CTR e consequentemente o número de visitas no post. Como o conteúdo é bom e prende o leitor, os sinais, provavelmente, convenceram o Google que merecíamos galgar um lugar ao sol.

Hoje, além do Snippet, estamos em primeiro.

Mas, como você pode perceber, agora essa mesma página possui outra feature nova: As pessoas também perguntam.

Outra oportunidade para conseguir respostas na SERP e aumentar o nosso número de visitas.

É fundamental se atentar para essas features nas páginas de resultados, especialmente para buscas locais.

Conquistar o seu lugar nessas features pode ser o próximo passo para conquistar posições melhores.

Recuperou? Como não deixar a história se repetir

Como falei na primeira frase deste post, chegar no topo é difícil, recuperar o topo é muito difícil também, mas se manter lá é ainda mais complicado!

Agora se você conseguiu recuperar a sua tão sonhada posição, é hora de preparar as defesas.

Eu acredito que você tenha percebido, mas todas essas estratégias de recuperação, não necessariamente precisam ser usadas para recuperar o conteúdo.

Portanto, não espere perder posições para colocar tudo isso em prática.

Algumas coisas essenciais para você sempre fazer nesse meio tempo:

  1. Continue conquistando backlinks e “roubando” links dos seus concorrentes;
  2. Espie os seus concorrentes o tempo todo! Qualquer mudança, repense como se defender;
  3. Faça mais posts satélites ou relacionados ao tema;
  4. Acompanhe as principais métricas para um conteúdo:
    1. Time on page;
    2. Páginas por visita;
    3. Bounce Rate;
    4. Quedas de tráfego;
    5. CTR;
    6. Tempo de carregamento da página.

Em casos de emergência, repita os passos que ensinei nesse conteúdo!

Agora, bora ficar em primeiro lugar.

Bom, mas até agora eu ensinei você a recuperar posições pontuais de páginas que caíram.

Mas, existe uma situação bem mais grave…

Minha página sumiu do Google! E agora?

O meu primeiro conselho aqui, talvez seja o principal é: Não entre em pânico!

Se já é difícil ter controle emocional quando nós caímos uma posição, imagina quando nossa página simplesmente desaparece.

Uma das piores sensações que eu já tive foi buscar uma palavra que eu lutava pela primeira posição e não encontrar ela nem na terceira página (acredite, eu fui até lá!).

Mas e então? Como proceder quando uma página importante resolve simplesmente desaparecer?

Vamos aos passos! 😀

Confira se foram todas as páginas

Primeiro passo é identificar se o desaparecimento foi pontual ou se o problema é geral no seu site.

Você pode conferir o rankeamento das suas palavras-chave e ver se apenas a da página desapareceu. Você pode usar o SEMrush, Google Search Console, Link Assistant, entre outras.

E você pode também conferir se está com algum problema de indexação no seu site.

Para isso, basta fazer uma busca avançada no Google da seguinte forma:

site:nomedoseusite.com.br

Essa busca deve ter como resultado todas as páginas do seu site que deveriam indexar. Caso você encontre as outras páginas e veja que não é um problema do site como um todo, você já pode ficar mais tranquilo.

Caso você não encontre nenhum resultado, provavelmente é um erro de configuração nos seus arquivos Robot.txt. Esse arquivo é o que fala para o Google o que ele deve ou não rastrear no seu site.

Se nenhum resultado apareceu, você deve ter, acidentalmente programado os arquivos para não permitirem o Google a indexar o seu site.

Mas o foco é para recuperação de posições pontuais, então voltemos.

Agora que você descobriu que o problema é só em uma página, vamos ao próximo passo: Identificar o problema.

Confira se a página está com uma tag de no index

Um erro comum que pode acontecer, e geralmente é a causa para esses sumiços das páginas, é colocar uma tag de no index dentro de uma página específica.

Isso pode ocorrer por alguns motivos. Hoje é muito simples marcar um conteúdo para não ser indexado, em alguns CMS é só uma check box.

Para você descobrir se esse é o problema, acesse a página específica e inspecione o código fonte da página.

Para isso basta clicar com o botão direito e selecionar “inspecionar” ou digitar o comando “ctrl + shift + C”.

Relaxa, você não precisa saber ler tudo o que vai aparecer. Você verá mais ou menos isso:

Você pode dar um “ctrl + F” e buscar por “noindex”. Aí você vê se encontra a seguinte linha:

<meta name=”robots” content=”noindex”>

Se você encontrar isso, ótimo! Esse é o problema. Basta configurar a página para ser indexada novamente. Você pode fazer isso direto pelo seu CMS ou solicitar que o seu desenvolvedor corrija para você.

Mas, caso não tenha achado essa tag, vamos aos próximos passos.

Confira se você não selecionou a página acidentalmente no Robot.txt

Como falei, o Robot.txt não vai fazer com que o Google não indexe a sua página, ele não vai deixar o Google sequer rastrear aquela página.

Portanto, esse caso específico só seria uma realidade se a página jamais tivesse aparecido no Google.

Mas ainda sim, é melhor não excluir a possibilidade de uma edição no seu arquivo, portanto vale a pena conferir.

Se o seu blog é em WordPress você pode conferir o arquivo pelo Yoast. Na sua barra de ferramentas do WordPress vá em “SEO”:

Agora selecione a opção ferramentas e vá em editor de arquivo.

Aqui, você encontrará a opção de editar o seu robot.txt. Lembrando que tudo que possui a opção “Disallow” comunica ao Google que não rastreie aquela página específica do seu site.

Se não houver nenhuma mudança no seu robot.txt, podemos partir para o passo 3.

Checar se você não recebeu alguma “punição” do Google

Google possui as suas Guidelines e desrespeitá-las pode ser um dos motivos que a sua página tenha sumido.

Então uma opção é checar no Google Search Console, na aba Ações Manuais (ferramenta focada em erros de Spam) se a ferramenta indica algum erro.

A mensagem que você quer encontrar é essa:

Caso algum erro seja detectado, pode ser a causa para o sumiço da sua página.

Além dos erros de webspam, existe outra forma que o Google pode afetar diretamente o seu conteúdo: por meio de uma mudança de algoritmo.

Nesse caso, confira se houve alguma atualização recente e se essa atualização de algoritmo é punitiva.

Por exemplo, as atualizações Panda e Pinguim que exigem conteúdo de qualidade e um perfil de backlinks sem spam, foram atualizações que puniam conteúdos que possuíam essas características.

Caso identificado, você precisa se certificar que o problema está corrigido e pedir para o Google reindexar a sua página (ensino a fazer isso mais à frente).

Inspecionar a URL no novo Google Search Console

O novo Google Search Console tem uma navegação simples e otimizada para você conferir o status das suas URLs.

Cole o endereço na busca e ele vai te informar os status dessas páginas:

Aqui o Search Console mostra se a página está indexada e se ela possui algum erro mais grave.

Deixei essa opção para o final, porque é aqui que você pode solicitar ao Google que reindexe a sua página.

Se você não tiver identificado o erro até esse passo final, teste solicitar uma reindexação do Google e confira se a página voltará a aparecer nas páginas do buscador.

Algum erro específico pode ter acontecido e mesmo sem erros a sua página não está lá.

Por exemplo, o seu site caiu durante 30 min e nesse momento o Google rastreou a página específica, entendendo que ela não está mais lá.

Sendo assim, a reindexação pode ser a solução simples que você precisa para resolver o seu problema.

Rumo ao topo

Mesmo depois de recuperar a sua página e ela voltar a aparecer no Google, você com certeza perdeu posições e precisa recuperá-las, nesse caso, basta seguir os passos de recuperação que conversamos na primeira parte do texto.

E lembre-se de nunca relaxar quando conquistar uma posição. SEO não é apenas para chegar ao topo, é também sobre permanecer lá e conquistar resultados com essa posição.

Espero que esse guia ajude e você esteja preparado para recuperar aquela posição-chave que você perdeu (a não ser que você tenha perdido essa posição para algum dos nossos blogs).

Fonte original do texto: Marketing de Conteúdo – https://marketingdeconteudo.com/recuperar-posicoes-no-google/

Confira também no blog da A&P Publicidade: Textos otimizados – Para aumentar a visibilidade da sua empresa no Google