E-mail: atendimento@aep.net.br
WhatsApp: +55 11 94277-9889

Saiba como preparar o seu e-commerce para o próximo ano

Marketing de Conteúdo – Confira quais foram as principais tendências de mercado apontadas pela E-commerce Trends 2018 e descubra como preparar o seu e-commerce para ser um sucesso no próximo ano!
Confira também no blog da A&P Publicidade: Mais de 50% das empresas brasileiras têm dificuldades em definir estratégias de marketing digital

Com a chegada do fim do ano e o início dos planejamentos para o próximo, a grande maioria das lojas virtuais compartilham um mesmo objetivo central: aumentar as vendas.

Essa necessidade é a responsável, muitas vezes, pelo investimento em estratégias de Marketing Digital, por possuírem essa mesma natureza virtual e por serem capazes de gerar resultados significativos.

Para que você conheça melhor o cenário do mercado de e-commerce e a forma como são utilizadas essas estratégias, o time de Inteligência elaborou a segunda edição da pesquisa E-commerce Trends.

Confira neste post os principais insights e resultados proporcionados pela pesquisa. Acompanhe!

Quais são os principais resultados da E-commerce Trends?

Para que você compreenda de forma mais prática, os resultados foram divididos entre e-commerces e consumidores. Vamos começar conferindo os dados relativos às lojas:

Primeiro levantamos os perfis dos profissionais de e-commerce e também os indicadores de desempenho dos seus negócios online.

Qual é o perfil das empresas entrevistadas?

Entre os entrevistados, 52% dos entrevistados são profissionais que trabalham em e-commerce.

Como é a satisfação dos profissionais em relação às vendas online?

A satisfação do cliente é notada pelo cliente quando ele compra algum produto ou serviço e o compara às suas expectativas. Caso a experiência de compra e usabilidade não o atendam, ele ficará insatisfeito.

Por outro lado, se ele se encantar pelo seu produto ou serviço desde o momento da aquisição até o recebimento e uso, terá uma boa percepção do serviço e, como consequência, ficará satisfeito.

A partir disso, levantamos na pesquisa o nível de satisfação dos profissionais em relação às vendas do e-commerce. Deles, apenas 8,9% se dizem muito satisfeitos, 31,3% afirmam estarem satisfeitos, 46,9% revelam estarem insatisfeitos e 12,9% disseram estar muito insatisfeitos.

Como é a estrutura de negócio do e-commerce?

46,7% das lojas virtuais disseram ter uma equipe de marketing. As principais funções que os times de marketing desempenham são voltadas para o gerenciamento de redes sociais, campanhas de email marketing e anúncios em mídias pagas.

Além disso, 55,7% dos negócios disseram ter lojas virtuais somente, ou seja, não possuem loja física.

Quais são os principais desafios dos e-commerces?

1. Aumentar o volume de vendas

Todo e-commerce passa por desafios a partir do momento em que inicia o negócio online. Aumentar o volume de vendas lidera os objetivos que as lojas virtuais mais querem conquistar, correspondendo a 68,2% dos respondentes.

Afinal, o volume de transações comerciais é um dos principais indicadores de crescimento das lojas virtuais. Para atingir o break even e escalar o negócio, é preciso vender cada vez mais.

2. Aumentar a conversão

O segundo desafio é aumentar a taxa de conversão no site, correspondendo a 58,4% dos respondentes.

Da mesma forma que uma loja física precisa receber muitas pessoas para aumentar as chances de converter alguns deles em consumidores, uma loja virtual precisa ter um alto número de visitantes de modo que parte deles se converta em clientes.

De nada adianta o e-commerce ter muitas visitas por mês se a conversão for baixa.

Por isso, tirar dúvidas do cliente, produzir conteúdos estratégicos, promover esses conteúdos, além de trabalhar a divulgação do negócio via redes sociais e email marketing são algumas ações praticadas por lojas virtuais que visam melhorar a conversão.

Claro que, mesmo a conversão sendo boa, o tráfego do site não pode ser deixado de lado. Até porque, quanto mais visitantes, maiores são as chances de venda. Por isso, aumentar o tráfego do site foi o terceiro desafio apontado por 48,6% dos entrevistados.

3. Aumentar o tráfego

Para conseguir mais tráfego de qualidade, algumas ações como SEO para e-commerce e Marketing de Conteúdo não podem ser deixadas de lado.

Empresas que adotam boas práticas de SEO, ao determinar palavras-chave vinculadas às suas página de produtos, conseguem aumentar as chances de atrair pessoas que procuram por elas em motores de busca, como é o caso do Google.

Já aquelas que têm uma estratégia de Marketing de Conteúdo conseguem demonstrar conhecimento e autoridade em sua área a partir dos conteúdos produzidos.

Dessa forma, o ranqueamento nos mecanismos de busca também são impactados, gerando um maior tráfego qualificado ao blog da empresa. Falaremos mais a respeito disso em seguida.

De que maneira os e-commerces divulgam seus negócios?

Para atrair tráfego para a loja online, convencer os visitantes a comprarem e conquistar a confiança do usuário, é muito importante ter um blog.

Por essa razão, e-commerces têm adotado essa estratégia cada vez mais, 89,7% deles disseram fazer Marketing de Conteúdo. 41,9% disseram que, a partir do blog, conquistaram aproximadamente 9 vezes mais visitantes e 13 vezes mais clientes.

A adoção do Marketing de Conteúdo para e-commerce ajuda a adquirir e manter clientes a partir de conteúdos que comprovem o conhecimento e a autoridade do negócio.

Além disso, os e-commerces que fazem Marketing de Conteúdo apresentaram 10 vezes mais visitantes e 15 vezes mais clientes. Para saber como isso acontece, é preciso metrificar as conversões de clientes que chegam por meio dessa estratégia.

Entre os entrevistados, 22,3% disseram não metrificar os resultados de conversão de Marketing de Conteúdo, enquanto 47,1% dos respondentes afirmaram que metrificam.

Agora vamos analisar o perfil e o comportamento dos consumidores que participaram da pesquisa.

Quais são as razões que levaram os consumidores a comprarem em e-commerce?

De todos os entrevistados, 98% disse já ter feito compras em lojas virtuais. Segundo 70,9% deles, a principal razão que os levaram a comprar em e-commerces foi a possibilidade de pagar preços mais baratos se comparados às lojas físicas.

Existem razões que explicam porque os preços de e-commerces são mais baixos. A primeira delas é que os custos do negócio são menores por não envolver pagamento de aluguel e muitos funcionários, por exemplo.

Entre os respondentes da pesquisa, 69,8% alegaram a facilidade na hora de fazer compras em lojas virtuais. Afinal, uma compra em e-commerce pode ser concluída em poucos cliques e as formas de pagamento costumam ser diversas, justamente para atender as possibilidades de todos que queiram comprar.

Checar avaliações dos produtos oferecidos e estar por dentro das novidades que a loja oferece em seu mix online são outras facilidades que os consumidores podem levar em conta na hora de efetuar a compra.

Sobre a comodidade na hora de comprar, 67,1% apontaram este como o ponto de decisão. Geralmente, o frete grátis é visto como o principal fator de conforto, razão pela qual as campanhas de “dia do frete grátis” costumam impulsionar as vendas online.

E por falar em frete, o que impediu os demais 2% de comprarem online foi o fato de considerarem as taxas de frete muito altas (55,6%) assim como a falta de confiança (33,3%) e a vontade de experimentar o produto pessoalmente antes de adquiri-lo (44,4%).

Para solucionar essas objeções, é sugerível fazer um levantamento dos valores de frete que as empresas do ramo estão cobrando e também de quanto os clientes estão determinados a pagar.

Fazer Marketing Digital para se posicionar como autoridade do seu segmento pode resolver a falta de confiança por parte do público, outra grande culpada pela desistência das compras.

Para contornar esse problema, ofereça a eles um bom atendimento de modo a sanar suas dúvidas e mostre a opinião de outros consumidores para que eles se sintam confiantes em realizar a compra.

97% dos entrevistados revelaram já terem adicionado produtos desejados no carrinho de um e-commerce, mas não finalizaram a compra. Os principais motivos que os levaram a isso fora o fato do frete ser muito caro (82,3%), ter repensado sobre a necessidade de compra (48,8%) e o prazo de entrega ser muito demorado (40,7%).

Como os consumidores têm comprado em e-commerce?

Segundo os participantes da pesquisa, 72,2% das compras feitas pelos consumidores em lojas virtuais são realizadas via notebooks, seguidas por smartphones (50,1%) e desktops (38,3%). Este é um sinal importante de que as empresas precisam ter seus sites adequados para dispositivos móveis.

Além disso, 88,9% dos entrevistados disseram receber e-mails com ofertas de e-commerce. Destes, 60,9% afirmaram já ter realizado uma compra por conta de e-mails recebidos de lojas virtuais.

Embora algumas pessoas digam que o e-mail marketing está morto, isso não é verdade. Segundo profissionais de marketing em empresas B2C, estratégias de e-mail marketing obtêm taxas de conversão de até 15%.

Como funciona o abandono de carrinho em e-commerce?

O abandono de carrinho é um dos maiores desafios enfrentados por proprietários de negócios online. De acordo com a pesquisa, 82,3% dos entrevistados afirmaram já ter deixado produtos no carrinho de compra.

Além de estar altamente relacionado com fretes caros, como mencionado, outras razões apontadas foram: prazos de entrega demorados, falta de opção de pagamento desejada, curiosidade em descobrir o valor do frete, insegurança em relação aos meios de pagamento, checkout confuso, exigência da criação de uma conta e não ter desconto.

Por essa razão, consideramos o abandono de carrinho um dos principais indicadores de desempenho apontados pela E-commerce Trends.

Fonte original do texto: Blog Marketing de Conteúdo – https://marketingdeconteudo.com/preparar-e-commerce/

Confira também no blog da A&P Publicidade: Estratégias de marketing para empresas de vistoria – Parte 1: ter um bom site