E-mail: atendimento@aep.net.br
WhatsApp: +55 11 94277-9889

Google Mobile First Index: já está valendo, e agora?

Blog Resultados Digitais – Saiba por que você deve adaptar seu site o mais rapidamente possível a essa recente alteração de funcionamento do buscador do Google.

Confira também no blog da A&P Publicidade: Um blog não é apenas um blog, é um negócio

Sua empresa possui um site, mas ainda não está preparado para o Google Mobile First Index? Você nem sabe o que significa esse termo? Então saiba que seus concorrentes já podem estar preparados para a mais recente mudança do Google. Isso porque já faz alguns meses que ela está ativa, e isso tem impactado a estratégia de SEO.

SEO é uma estratégia que ajuda o seu site a ter um bom ranqueamento nos buscadores como o Google. Assim, quando alguém procurar na internet por algo relacionado ao que seu site, as chances dele aparecer na primeira página do resultado são maiores. Mas o que o Google Mobile First Index tem a ver com isso?

Para entender, precisamos ter em mente que os dispositivos móveis estão sendo mais utilizados para navegar na internet que os computadores. Um site criado para ser visualizado no computador possui mais informações. Modificá-lo para ser acessado nesses dispositivos não é uma tarefa fácil.

É preciso tornar o código mais enxuto e focar nas informações que realmente são relevantes ao usuário. Por isso, a mudança para o Mobile First Index está se tornando cada vez mais forte e ganhado importância na estratégia SEO. Tanto isso é verdade que o Google já adotou essa mudança em sua indexação há alguns meses.

Isso tem trazido algumas alterações no rankeamento quando as buscas são realizadas em dispositivos como smartphones e tablets, por exemplo. A tendência é que em pouco tempo as buscas nos desktops também sejam afetadas. Daí a importância de entender essa alteração e se preparar para sua utilização.

Google Mobile First Index: o que é?

Em tradução literal este termo quer dizer “mobile primeiramente”. Isso quer dizer que a principal versão que será considerada em um site será aquela voltada para os dispositivos móveis — e não mais para o desktop, como era até bem pouco tempo.

Se você possui um site sem a versão mobile não precisa entrar em pânico: ele ainda será indexado segundo a versão desktop. Porém, se seus concorrentes já possuírem a versão mobile, eles poderão ficar na sua frente.

Em março de 2018 o Google anunciou que o Mobile First Index passaria a ser implementado. Já existem sites que passaram por esse processo e que estão sendo indexados de acordo com ele nos resultados de busca.

Entretanto, o objetivo é que todas as páginas existentes na internet também passem por esse processo. Por isso, está na hora de reavaliar suas estratégias e passar a ter uma versão mobile para seu site.

Por que adotar o Google Mobile First Index?

Não é de hoje que o mobile é um fator importante de rankeamento. A diferença está no fato do Google basear sua indexação na versão mobile do site.

Mas por que essa mudança? Em cada 5 pesquisas realizadas na internet, 3 são feitas através dos dispositivos móveis. Esse número mostra que o mobile ultrapassou o desktop nesse sentido.

Esse dado é uma boa razão para que o Google Mobile First Index seja abordado em seu site, m não é apenas isso. Os dados mostram que 77% das buscas realizadas através dos dispositivos móveis são feitas no trabalho ou em casa – e não mais nas ruas, como acontecia.

Sabe o que acontece após essas pesquisas? Os usuários realizam compras. Segundo Digital-Stats, 75% delas produzem ao menos duas ações subsequentes. De cada 10 pesquisas realizadas nos celulares, 9 resultam em uma visita a página ou compra.

Ou seja, os resultados obtidos são reais, geram ações reais e ainda rendem muitos milhões para as empresas. Com todos esses dados não dá para ficar de fora.

Mas como realmente funciona essa nova indexação do Google? Todo site possui informações que serão vasculhadas pelos robôs do Google. Isso vai permitir que as páginas do seu domínio sejam colocadas nos resultados do buscador. É esse processo que é chamado de indexação.

Se você utiliza estratégias SEO em seu site, sabe que o Google utiliza diversas variáveis para rankear uma página web. É seguindo essas variáveis que um site fica entre os primeiros nos resultados de busca ou não. Agora, uma dessas variáveis está relacionada com o Mobile First Index, ou seja, a versão do seu site voltada para os dispositivos móveis.

O que se modifica?

Anos atrás, o acesso a internet era feito pelos desktops. Por esse motivo a indexação tinha como base essa versão nos sites. Aos poucos os mobiles passaram a ser utilizados e quem fazia buscas na web através deles era prejudicado.

Isso acontecia porque os robôs não eram capazes de identificar algumas perdas de conteúdo e diferenças entre eles. Agora o cenário é diferente. A navegação na internet é feita em sua maioria através de dispositivos móveis. Por esse motivo a indexação é baseada na versão para esses dispositivos.

Ou seja, o mobile deixou de ser um fator de rankeamento para se tornar primordial. O resultado disso já pode ser observado nos rankings do mobile e até no tráfego do site como um todo. Você pode observar isso visualizando o gráfico do Analytics.

Se ele estiver caindo, há uma possibilidade de ser por causa do mobile first index caso você ainda não tenha uma estrutura mobile otimizada. Mas isso não quer dizer que deva se desesperar, pois essa mudança na indexação está sendo feita gradualmente.

Afinal, trata-se de um desafio até mesmo para um gigante como o Google. Mas, também é óbvio que você não deve deixar para se adequar depois que começar a cair o seu tráfego.

Por esse motivo, ele tem de elaborar novas formas de fazer a análise das versões mobile. Afinal, ele não possui tantos sinais voltados aos robôs como ocorre com o desktop. Fazer essa mudança de forma gradativa é ótimo, pois vai permitir que a efetividade dessa nova indexação seja testada.

Além do mais, o usuário não será impactado drasticamente com isso e as empresas ainda terão tempo para fazer adaptações em seus domínios. Primeiramente, o Google fará uma análise de diversos sites e os que já se prepararam para o mobile serão indexados o que pode causar os seguintes efeitos:

  • Geração de SERP com duas versões diferentes – Uma versão gerada para o mobile e outra para o desktop;
  • Geração de SERPs diferentes para cada usuário – Os usuários receberão aleatoriamente a versão desktop-index ou mobile-index.

Após essa transição, a indexação será feita exclusivamente levando em consideração a versão mobile do site. Apesar de não ter sido estabelecida uma data para que isso ocorra, tudo indica que essa transição não terminará antes do próximo ano.

O rankeamento é afetado de que forma?

Quem investiu em design, produto e em uma boa estratégia de SEO provavelmente não será prejudicado com essa mudança na indexação do Google tão rapidamente. Ou seja, se suas páginas são responsivas, com velocidade boa de carregamento e conteúdo integral para mobile e desktop não há com o que se preocupar por enquanto.

Afinal, a indexação de suas páginas ocorrerá naturalmente e serão ranqueadas pela qualidade que apresentam e conseguir atender aos requisitos.

Agora, se algum desses fatores estiver faltando em seu site, é um péssimo sinal e realmente você tem com o que se preocupar. Entretanto, como essa mudança está acontecendo aos poucos, é possível correr atrás do prejuízo e se preparar para a transição definitiva.

Quais principais pontos precisam de atenção?

Desde o anúncio do Google Mobile First Index, alguns donos de site estão um pouco preocupados. Afinal, terão que pensar na versão mobile de suas páginas e nem todos estavam pensando nisso até então.

O fato é que essa mudança na indexação do Google informa que a busca mobile ganhou mais importância que a desktop. Este é o ponto central: o que é importante para o Google tem que ser importante para a sua estratégia.

Isso quer dizer que antes de fazer esforços futuros no site, é preciso entender esse conceito. Assim, os principais pontos do Mobile First Index que merecem sua atenção são:

Fazer site mobile-friendly

O mínimo que você pode fazer é isso. Caso ainda não tenha feito isso, chegou o momento de fazê-lo, pois seu rankeamento já está sendo afetado negativamente. Mas o que um site mobile-friendly necessita? Primeiramente, seu design tem de ser responsivo para que possa se adaptar a qualquer dispositivo móvel.

Ou seja, é preciso ter atenção tanto com o conteúdo visual quanto o textual do site, tamanho dos arquivos, dimensão e outros fatores. Além disso, a navegação pela página deve ser agradável ao usuário e permitir que ele encontre o que deseja. Isso é o principal, pois para o Google o que realmente importa é a experiência do usuário.

AMP ou Páginas Mobile Aceleradas

Trata-se da velocidade com que as páginas pertencentes ao seu domínio carregam. As AMPs são de grande importância, pois tornam essa velocidade de carregamento mais rápida. De acordo com as estatísticas, 53% dos usuários deixam a página mobile quando ela demora mais que 3 segundos para carregar.

O tempo de carregamento da maioria dos sites é, em média, de 19 segundos. Isso mostra que as AMPs podem ser determinantes para que o usuário permaneça em seu site e consuma seu conteúdo. Também pode ser importante para diminuir a taxa de rejeição.

Dados e conteúdos do desktop devem estar na versão mobile

Não é difícil encontrar sites que possuam um conteúdo mais completo para a versão desktop e outro mais enxuto para o mobile. Sabe qual o problema disso? As chances do ranqueamento da página ser afetada com a nova indexação são enormes, já que há perda de conteúdo.

Mas isso não é tudo, pois os títulos e intertítulos — que são alguns indicadores para os bots — devem estar completos e bem estabelecidos para a nova análise. Por isso, o ideal é que as duas versões tenham um conteúdo completo e estejam bem estruturadas.

Verificação com o Search Console

Já sabemos que o Google Mobile First Index já está valendo e alguns sites já estão sendo ranqueados de acordo com este conceito. Uma ótima ferramenta que pode ser utilizada na sua estratégia — e até para entender melhor seu site — é o Google Search Console. Ele vai oferecer um diagnóstico mais amplo sobre ele.

Além do mais, o Search Console verifica a versão mobile e ainda permite que o diagnóstico ocorra nela. Assim, ele poderá apontar quais pontos necessitam de melhoras.

Você está preparado?

A experiência do usuário é uma das maiores preocupações que o Google possui. Por esse motivo, ele sempre promove mudanças que visam prestar orientações para que ela seja otimizada.

É por isso que o Google Mobile First Index está sendo adotado. Além do mais, os números mostram que vale muito a pena investir nessa tendência realidade.

Fonte original do texto: Blog Resultados Digitais – https://resultadosdigitais.com.br/blog/google-mobile-first-index/

Confira também no blog da A&P Publicidade: Funil de vendas: tudo o que você precisa saber