11 3230-2598
11 3230-7798
atendimento@aep.net.br

Tendências de SEO para 2018: o que realmente vai pesar para chegar ao topo

Confira os fatores de maior importância em SEO no ano de 2018!

Se você trabalha com Marketing Digital com certeza já está preocupado com quais serão os fatores mais importantes de SEO para o próximo ano!

Afinal, todo mundo quer alcançar bons posicionamentos nos buscadores, especialmente no Google.

O que mais mexe com as emoções dos profissionais de SEO são as constantes atualizações do Google.

Você já sabe o que esperar do algoritmo em 2018? Como essas mudanças afetarão o seu site? Quais são os fatores pesarão mais para o ranqueamento?

É por isso que hoje eu vou trazer as minhas previsões e os principais focos para o ano de 2018.

E mais forte e mais importante que qualquer tendência é entender como o Google pensa! É isso que vai ajudar você a ganhar rankings hoje, agora, e ainda identificar as maiores tendências para os próximos anos:

Entendendo o funcionamento do Google

Não estou falando aqui sobre o funcionamento do buscador, mas sim da intenção que o Google tem com cada atualização feita no algoritmo.

Um dia me perguntaram em um Webinar que fiz se eu temia as atualizações do Google e a imprevisibilidade do algoritmo.

A minha resposta: não!

Isso porque quando entendemos o funcionamento do Google, as atualizações não trarão um impacto muito grande na sua estratégia de SEO.

A verdade é que todas as mudanças feitas pelo Google são focadas em um único propósito: melhorar a experiência do usuário!

Por que os sites mobile friendly rankeiam melhor? Porque a maioria dos usuários hoje acessam a internet via smartphones.

Por que o tempo de carregamento das páginas influencia tanto no rankeamento? Porque as pessoas querem as respostas o mais rápido possível!

Retirado de https://www.thinkwithgoogle.com/data-collections/top-marketing-data-insights/

Por que existem featured snippets? Para o usuário receber a resposta o mais rápido possível. Muitas vezes ele não quer se aprofundar, mas apenas uma definição breve.

Enfim, são centenas de fatores de rankeamento, e a importância de cada um deles está sempre variando. Eu poderia ficar o dia inteiro pontuando cada fator do Google e mostrando como cada um deles é focado em um benefício para o usuário.

Sem exceção.

Portanto, o mais importante é você entender as tendências no comportamento dos usuários. O que você espera quando faz uma busca no Google? Como você tem percebido o comportamento das pessoas na internet?

São esses comportamentos que determinarão as principais tendências de 2018.

Agora vamos analisar melhor esses principais fatores:

Conteúdo de qualidade: o que é isso para o Google

Falar que conteúdo de qualidade é uma tendência é chover no molhado.

Qualidade do conteúdo é o principal fator de rankeamento  — ao lado dos backlinks —, mas isso já não é novidade há pelo menos 3 anos.

O principal é entender quais os fatores vão mostrar ao Google que o seu conteúdo é ou não de qualidade!

Alguns deles já são bem conhecidos, mas outros ainda são pouco explorados. vamos entender cada um dos sinais de qualidade que o Google leva em conta para rankear um conteúdo.

Backlinks

Por que os backlinks continuam sendo o principal fator ano após ano? É simples. Porque os links funcionam como uma referência.

Se alguém faz um link para o seu site é porque ela considera o seu conteúdo bom.

E quanto mais links de sites relevantes você recebe, melhor o Google vai interpretar que o seu conteúdo é.

Afinal, quando você vai contratar alguém, comprar um presente para o/a namorada/o ou escolher um restaurante para ir, você sempre pede indicação de pessoas que conhece e confia, não é verdade?

Ou seja, até o número de backlinks é focado na experiência do usuário!

Conteúdo único

O que você pensa quando escuta o termo “conteúdo único”?

Quando usamos essa expressão não estamos falando apenas de conteúdos que não são iguais a outros e que não são duplicados. Não estamos falando de dizer as mesmas coisas, mas com palavras diferentes.

Quando pensamos em conteúdo único, pensamos no seu valor!

O conteúdo que oferece algo para o leitor que ele não vai encontrar em nenhum outro lugar.

E como fazer um conteúdo único?

Otimize acessibilidade e design

Faça que as pessoas acessem os seus posts e pensem “wow! Já vi conteúdos sobre esse tema, mas nunca apresentados dessa forma”.

Ofereça algo único e que fuja do lugar comum. Tudo o que possa otimizar a experiência do leitor e facilitar a navegação e o consumo do seu conteúdo.

Informações que não serão encontradas em nenhum outro lugar

Escrever um post sobre qualquer tema é fácil. Difícil é apresentar informações que o seu leitor não vai encontrar em nenhum outro lugar.

Você precisa oferecer valor com um conteúdo diferente e fazer o seu leitor dizer “uau, eu nunca li nada sobre isso em nenhum outro site”.

Esse tipo de informação mostra ao Google que você merece alcançar lugares mais altos.

Entretanto, ela vai depender da sua capacidade de fazer pesquisas, aprender, testar e traduzir isso em informação relevante para a sua audiência.

Campo semântico (LSI)

A maneira que o Google interpreta conteúdo está cada vez mais evoluída. O campo semântico é uma das principais formas do buscador interpretar a qualidade de um contéudo.

Isso começou com o Hummingbird, uma importante atualização do algoritmo do Google. Hoje, cada vez mais a inteligência artificial do buscador tenta alcançar a perfeição na identificação de uma semântica adequada para o usuário.

Veja esse exemplo:

Logicamente o conteúdo da direita vai rankear melhor. Isso porque, apesar de o conteúdo da esquerda falar sobre marketing digital, ele não menciona termos básicos que o Google espera que alguém use para explicar o termo.

É impossível explicar o que é marketing digital sem falar de SEO.

Por isso o campo semântico é fundamental para o sucesso e qualidade de um conteúdo.

Time On Page

O tempo que um usuário passa na sua página também é um sinal da qualidade do seu conteúdo.

Quanto mais tempo você passa lendo um conteúdo, muito provavelmente, você está gostando do que viu e ele está respondendo a sua dúvida.

Para aumentar o tempo de permanência no seu site e na sua página faça:

  • uma boa e convincente introdução;
  • intertítulos que apresentem benefícios ao leitor;
  • use frases de conexão e que prendem o leitor na sua leitura;
  • faça um ótimo trabalho de linkagem interna.

Sozinho, o time on page pode ser uma métrica enganadora. Afinal, eu posso permanecer muito tempo em um site porque não consigo encontrar o que estava procurando.

Outras métricas ajudarão o Google a entender melhor a qualidade do conteúdo, como:

Bounce rate

A taxa de rejeição é um outro sinal importante para o Google interpretar a qualidade do conteúdo.

A taxa de rejeição apresenta a porcentagem de pessoas que saem do seu site sem nenhuma interação.

A métrica para o Google pode ser um pouquinho diferente, sendo Bounce quando a pessoa retorna para a página do buscador para clicar em outras respostas. Esse é o pior sinal que o seu conteúdo pode receber.

Afinal, isso mostra ao Google que o seu conteúdo não levou a resposta que o usuário procurava.

Portanto, produza um ótimo conteúdo e faça um bom trabalho de CTA e de linkagem interna, aumentando a sessão do seu usuário e criando interações entre ele e o seu conteúdo.

Realização do objetivo da busca

Atualmente esse é um dos grandes fatores de rankeamento do Google e que apresenta ao buscador se o seu conteúdo é, ou não, digno do topo das SERPs (páginas de resultados do Google).

Por trás de toda busca realizada no Google existe um problema. O melhor conteúdo é aquele que resolve o problema da Persona de forma rápida e eficiente.

Para isso é necessário corresponder a duas necessidades principais:

  1. O que leva um usuário à busca?
  2. O que deixa alguns usuários insatisfeitos?

Alcançar um entendimento profundo sobre isso pode ser o passo que falta para o topo da SERP.

Leia mais sobre esse fator de rankeamento no nosso post completo sobre a realização do objetivo de busca.

SERP features vs CTR

Para ter sucesso com SEO em 2018, você precisa melhorar com urgência o CTR dos seus conteúdos.

Eu não sei se você já percebeu, mas a cada dia o Google disponibiliza novas features dentro das SERPs. E isso tem reduzido bastante o volume de cliques orgânicos.

Veja por exemplo o número para a busca “marketing digital”:

Perceba que dentro da página de resultados, de acordo com o Keyword Explorer da Moz, apenas 58% dos cliques vão para os resultados orgânicos.

Mas espera, onde estão os outros 42%?

Anúncios, carrousel, pesquisas relacionadas, knowledge graphs etc. são muitas e muitas opções de resultados que não são a busca orgânica.

Se você buscar “Batman” no Google, verá uma SERP ainda mais features e um CTR orgânico de apenas 41%.

Por isso, para garantir um bom tráfego para as suas páginas em 2018, você vai precisar ter um bom CTR nas suas páginas.

Investir em otimizações para receber mais cliques vai se tornar mais importante do que nunca. A taxa de clique sempre foi um fator de rankeamento e, com essas novidades nas SERPs é hora de você superar a sua concorrência.

Invista em bons títulos: utilize o Search Console para identificar as buscas que mais levam visitas à sua página e crie um título baseado nisso.

Crie Meta descrições irresistíveis: a utilidade das meta descrições é justamente essa, aumentar o CTR dos seus conteúdos. Portanto aproveite esse espaço e mostre aos usuários por que o seu post vale a pena!

Explore os Rich Snippets: crie Snippets que podem destacar o seu resultado nas SERPs. Em 2018, sabe explorer bem os seus Snippets pode ser um diferencial enorme!

Busca por voz

Em ascensão no Brasil e já bastante comum lá fora, as buscas por voz serão cada vez mais naturais.

E o que isso implica em SEO? A lógica não seria a mesma?

Primeiro, continue investindo em Featured Snippets, afinal, quando você faz uma busca por voz, você recebe um resultado por voz!

O buscador vai ler a resposta que ele apresentaria como Featured Snippet. É assim que funciona o Google Home e as buscas por celular.

E não é só isso!

Como eu falei, o mais importante é pensarmos no comportamento do nosso usuário e com o crescimento da busca por voz, eu prevejo um aumento sensível no volume de buscas por palavras-chave long tail.

Por exemplo, se você fosse buscar informações sobre marketing digital, possivelmente digitaria no Google “marketing digital”. Quanto menos palavras, melhor não é?

Em uma busca por voz, você dificilmente diria apenas nisso. Muito provavelmente buscaria por “o que é” ou “como fazer” ou “conceito de”.

É como se as buscas feitas por voz tivessem mais a ver com a intenção do usuário do que com a palavra-chave.

A forma que escrevemos é muito diferente da forma que conversamos. E é aí que o campo semântico ganha uma importância ainda maior.

Além disso, em buscas por voz o volume de buscas inéditas deve aumentar diariamente e o número de palavras por buscas também. Como eu disse, quando digitamos sempre queremos usar o mínimo de palavras.

Quando falamos a história é bem diferente!

É fundamental que em 2018 você não se prenda muito a palavras-chave exatas. Afinal, os assistentes por vendas já bombaram em vendas em 2017, e a expectativa é de crescimento no ano subsequente.

Varie os formatos dos seus conteúdos

Ficar preso apenas em textos poderá ser um atraso na sua estratégia de conteúdo em 2018.

Dizer que vídeos são tendência seria forçar bastante. Ou ainda infográficos, podcasts, imagens, apresentações etc.

Nenhum desses formatos é tendência, mas explorar ao máximo uma variedade extensa de conteúdos, sim!

Pode ter certeza que você verá muitos dos sites e blogs que você acompanha utilizando formatos variados de conteúdo. O usuário quer consumir conteúdos diferentes e visuais.

Ele não quer aprender lendo apenas blog posts. E como toda a estratégia de SEO deve ser focada no usuário, você precisa surpreendê-los.

Algumas sugestões que deixo:

  • Ofereça conteúdos imagéticos (de preferência que o usuário possa embedar no site dele)
  • Invista em dados únicos que o seu mercado não tem (veja esse exemplo de pesquisa feita pela Rock Content)
  • Identifique o formato preferido da sua Persona (vídeos, textos, podcasts)

O que não é tendência

Vejo que algumas coisas estão sendo pontuadas como tendências para 2018, mas que na realidade não são tendências.

Gostaria de destacar duas delas, em especial a segunda.

Mobile-first index

Apesar dessa forma de indexação ter oficializado apenas recentemente, dizer que otimizar um site para mobile é tendência para 2018 só faria sentido se a sua Persona fosse um Neanderthal.

Um site eficiente no Mobile já é obrigação para qualquer empresa que investe em SEO e conteúdo há um bom tempo.

A diferença é que agora o Google considera, oficialmente, um site mobile como a versão real de um site.

Se você ainda não se certificou que o seu site é fantástico no Mobile, corra atrás! Urgentemente.

Acredito que a única tendência aqui é a redução de sites versão mobile, sendo substituídos por sites responsivos. É a recomendação que o próprio Google dá!

E, claro, invista nas AMPs (accelerated mobile pages) que foram desenvolvidas pelo próprio Google.

Se ele agora é a versão real do seu site, faz sentido ele ser o mesmo que o desktop.

Featured Snippets

Tivemos um boom recente de Featured Snippets e isso faz com que muitas pessoas coloquem as caixas de respostas como uma grande tendência para 2018.

Mas isso não é correto. Acredito que o auge dos Snippets aconteceu agora em 2017. Algumas SERPs que eu tentava pegar o Snippet mudaram para Knowledge Graph ou outras features, por exemplo:

E de acordo com um estudo da Moz houve uma queda enorme do número de Featured Snippets sendo substituídos por Knowledge Graphs (como esse acima) e Knowledge panels como esse:

São raros os casos onde a SERP recebeu esse Knowledge Panel e manteve o Featured Snippet.

Portanto, a verdadeira tendência para 2018 é uma queda dos Featured Snippets. Isso não quer dizer que você deva parar de investir neles. De jeito nenhum!

Conseguir essas caixas de respostas, ainda sim, é importante. Mas se te disserem que isso é uma tendência para 2018, não acredite.

Conclusão

A grande tendência de SEO para 2018 e para todos os anos seguintes é entender que você não está otimizando para buscadores, mas para pessoas!

Experiência do usuário não é um fator de rankeamento. É O fator de rankeamento.

E todos os outros 200 são pensados de forma que o Google consiga realmente apresentar a melhor resposta como 1º lugar orgânico na página de buscas.

Portanto em 2018 entenda menos o buscador e mais o seu usuário!

Melhorias mecânicas vem primeiro, usuário em segundo e você… em décimo na SERP.

Para você qual a grande tendência de SEO em 2018? Conta pra gente e me fala se você concordou com o que eu destaquei para o ano que vem!

FONTE: https://marketingdeconteudo.com/tendencias-de-seo/


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *